(Des)venturas do Testas

Enquadramento e objetivos A ferramenta (Des)venturas do TESTAS corresponde a 5 livros (5º – 9º ano, um por cada ano de escolaridade) que descrevem um conjunto de aventuras vividas pelo Testas ao longo da sua escolaridade. Esta estória constitui uma oportunidade para trabalhar um leque de estratégias de aprendizagem e processos de autorregulação, capacitando os alunos para aprenderem a aprender e, desta forma, promoverem o seu sucesso escolar. Neste sentido, são oferecidos aos educadores quer um marco teórico (um livro para pais e professores) que lhes permite compreender a estrutura do projeto, quer um leque alargado de propostas de atividades a desenvolver a partir das narrativas.

População-alvo Alunos dos 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico, psicólogos, professores e pais que queiram alargar os seus conhecimentos sobre as estratégias de autorregulação da aprendizagem e as competências de estudo no contexto de ensino e aprendizagem nestas faixas etárias.

 Racional A escolha de alunos do Ensino Básico como alvo deste projeto de promoção de competências de estudo está ancorada na urgência da promoção das competências de autonomia e autorregulação da aprendizagem o mais cedo possível. Sob o guarda–chuva do modelo teórico sociocognitivo da autorregulação da aprendizagem, este projeto visa equipar os alunos com um repertório de estratégias de aprendizagem que os auxilie a enfrentar as aprendizagens mais competentemente.

Metodologia Num estilo não prescritivo, desafiador e humorado, os alunos têm oportunidade de aprender um leque alargado de estratégias de aprendizagem e de refletir sobre situações, ideias e reptos em contexto, através de um conjunto de personagens que experienciam aprendizagens próximas das suas. Esta proximidade discursiva facilita a discussão e a tomada de perspetiva face aos conteúdos estratégicos apresentados no texto e a partir daí a realização de um conjunto de atividades organizadas para muscular as competências. O carácter plástico desta ferramenta permite que as diferentes estórias das (Des)venturas do Testas possam ser lidas e trabalhadas na escola, mas também no ambiente familiar.

Operacionalização O projeto apresenta um formato de infusão curricular. Não pretende ser mais uma atividade ou um conjunto de tarefas a desenvolver à margem do currículo, mas sim uma proposta que pretende trabalhar processos transversais ao aprender: planificar as tarefas, estabelecer objetivos, organizar recursos, monitorizar as tarefas, combater os distratores e avaliar o desempenho, a partir de uma estória que funciona apenas como o ponto de partida.

Avaliação A avaliação dos resultados desta intervenção de promoção de competências de autonomia e de autorregulação da aprendizagem deve ser coerente com os objetivos, população e formato escolhidos. A equipa de investigação que desenhou esta ferramenta (Des)venturas do Testas construiu questionários e instrumentos de avaliação dos processos de autorregulação que podem ser solicitados à coordenação do projeto (prosario@psi.uminho.pt), apenas para fins de investigação